Saúde visual dos portugueses agrava-se

A pandemia e o consequente confinamento teve impacto na visão da população. A conclusão resulta do inquérito Ver-se Bem, conduzido pela direção de Saúde Visual da Essilor Portugal, que concluiu que quase metade da população portuguesa, mais especificamente 44,2 por cento, refere perda na acuidade visual no último ano e que o aumento do número de horas de exposição a equipamentos digitais agrava o desenvolvimento da miopia.

Esta investigação quer identificar o atual estado da saúde visual dos portugueses, incidindo em diferentes campos, dos impactos do confinamento e da pandemia, à miopia e ao conhecimento sobre os sintomas e correção da presbiopia, ou “vista cansada”. O inquérito Ver-se Bem foi conduzido entre setembro e novembro de 2020, envolvendo 833 voluntários que responderam a um questionário sobre a sua saúde visual. O médico oftalmologista e docente José Salgado Borges, uns dos responsáveis do inquérito, colaborou na conceptualização, implementação e análise crítica dos dados recolhidos.

Os resultados foram claros. Registou-se queixas generalizadas sobre pioras na visão ao perto no último ano, período que engloba os meses de pandemia e de confinamento. Foi nesta altura em que o recurso ao teletrabalho foi generalizado assim como uso intensivo de dispositivos digitais, fatores que aumentam o risco de deterioração da saúde visual.

No Comments Yet

Comments are closed